quinta-feira, junho 13, 2024
InícioCidadesBebê recém-nascido é abandonado próximo a bar no bairro Santa Cecília

Bebê recém-nascido é abandonado próximo a bar no bairro Santa Cecília

Mãe e filho foram levados ao Hospital Municipal de Paulínia

Uma mulher de 25 anos, logo após dar à luz a um bebê no recuo de um bar na cidade de Paulínia, abandonou o menino, ainda com a placenta e o cordão umbilical. Ela foi presa em flagrante no final da madrugada desta quarta-feira (6).

Conforme a Guarda Civil Municipal, a mãe foi localizada após os agentes receberem a denúncia que uma mulher havia acabo de dar à luz ao lado de um bar na Rua são Bento, no bairro Santa Cecília, região central. A jovem foi encontrada em uma residência na parte de trás do local, com sinais que havia realizado o parto.

O menino foi localizado por moradores, que ainda estava no chão ao lado da placenta e do cordão umbilical. A criança foi enrolada em uma manta e levada pela viatura da GM para o Hospital Municipal de Paulínia (HMP), onde foi ser examinado pelos médicos e passa bem.

A mulher foi socorrida por uma ambulância do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para o HMP e precisou passar por cirurgia, onde permanece escoltada. Ela é usuário de drogas e já tem passagens pela polícia, além de um mandado de prisão em aberto. E agora deverá responder por mais este crime.

O registro policial aponta que o Conselho Tutelar foi acionado e que a assistente social do hospital pedirá à Justiça a internação compulsória dela em clínica de recuperação. A polícia aguarda o término do atendimento médico e decisão judicial para os próximos procedimentos.

A Prefeitura de Paulínia informou em nota que a mãe faz tratamento psiquiátrico com profissionais do Departamento de Saúde Mental e que é atendida pelo Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) e pelo Caps (Centro de Atenção Psicossocial).

Segundo a nota, a preocupação dos profissionais é dar todas as condições necessárias para que os dois tenham o melhor atendimento possível nas próximas 48 horas, enquanto o Departamento de Assistência Social tenta localizar a família da paciente para que a melhor decisão do destino de mãe e filho seja tomada.