domingo, junho 23, 2024
InícioCulturaCasarão tombado no Cambuí será o novo endereço do Campinas Decor 2019

Casarão tombado no Cambuí será o novo endereço do Campinas Decor 2019

A principal mostra de arquitetura, decoração e paisagismo do interior paulista chega a sua maioridade, a 24ª edição acontecerá de 26 de abril a 16 de junho; pela oitava vez, evento irá doar benefícios realizados em um imóvel do patrimônio público

A organização do Campinas Decor lançou oficialmente nesta quinta-feira (25), a edição 2019 da principal mostra de arquitetura, decoração e paisagismo do interior paulista. Um casarão histórico pertencente à prefeitura e tombado pelo Condepacc (Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas).

O imóvel foi apresentado para arquitetos, engenheiros, paisagistas, patrocinadores e imprensa. No total, serão 3.600 metros quadrados de passeio, sendo 1.400 metros quadrados de área construída original e o restante de jardins.

Em seu 24º ano, o evento acontecerá de 26 de abril a 16 de junho e pela oitava vez irá recuperar um imóvel pertencente ao patrimônio público. Após a doação das benfeitorias será utilizado para abrigar a Secretaria de Educação do município. Serão instalados no imóvel o gabinete da secretária, assessoria jurídica, diretorias e coordenadorias.

Em 2019, o imóvel localizado em pleno coração da cidade, na Rua Barreto Leme, bairro Cambuí, irá abrigar 48 ambientes internos e externos, que serão preparados por renomados profissionais do setor na cidade e região, mostrando as tendências e o que há de mais moderno em artigos para decoração e construção, revestimentos, mobiliário, luminotécnica, automação residencial e tudo o que envolve esse universo.

A realização da Campinas Decor no imóvel, que ficou conhecido por abrigar o antigo Colégio Ateneu durante muitos anos, será possível graças a um convênio de permissão de uso firmado entre a organização do evento e a administração municipal. O termo tem como objetivo a cooperação entre o poder público e a iniciativa privada para a conservação do imóvel.  Esta será a quarta parceria entre a empresa e a prefeitura, uma vez que Lago do Café (duas ocasiões) e a Estação Cultura também pertencem ao Poder Municipal.

Durante as obras de preparação da mostra, organização e expositores irão recuperar pisos e revestimentos, consertar telhados, portas e janelas e modernizar as redes hidráulica e elétrica da propriedade.

Campinas Decor: as empresárias Sueli Cardoso e Stella Pastana Tozo ladearam a secretária de Educação de Campinas, Solange Pelicer

As empresárias Stella Pastana Tozo e Sueli Cardoso comemoram a aliança. “Ao longo dos últimos anos temos tido a honra de contribuir efetivamente para o bem estar da população ao recuperar prédios que estavam sem uso efetivo e que, após a reforma, estão em plena operação, para os mais variados fins. E será muito gratificante fazer o mesmo nesta casa tão bonita e tão bem localizada”, afirma Stella.

Sueli complementa que a realização da mostra em um bem público amplia o significado do evento. “Ter a possibilidade de realizar a mostra em um prédio imponente como este do antigo Colégio Ateneu e ainda poder ver que após nosso trabalho ele ganhará vida nova é um grande incentivo não só para a organização da Campinas Decor, mas também para os profissionais participantes”, conta.

Assim como nas edições anteriores, a organização traçará uma “história da família” para nortear o trabalho dos expositores. Serão investidos cerca de R$ 7 milhões para a montagem da edição, divididos entre organização, patrocinadores, expositores e fornecedores – desse total, cerca de R$ 2 milhões devem ser consumidos apenas nas obras de recuperação. A expectativa é receber um público similar ao dos últimos anos, entre 30 mil e 32 mil visitantes. 

As obras serão iniciadas no final de janeiro e durarão cerca de dois meses. Os trabalhos envolvem um verdadeiro exército de profissionais – arquitetos, paisagistas, engenheiros, artistas plásticos, pedreiros, pintores, jardineiros, carpinteiros e entregadores. Nos horários de pico, o local chega a reunir cerca de 500 pessoas ao mesmo tempo.

Durante as obras, serão gerados cerca de 1.500 empregos diretos, fora outros 150 após a abertura da mostra para o público. 

Gustavo Pigatto, arquiteto urbanista de Paulínia, conheceu em primeira mão nesta quinta-feira (25), o casarão do Campinas Decor 2019. O Arquiteto foi convidado pelas organizadoras como profissional interessado em participar como expositor

Inscrições
Além de lançar oficialmente a nova edição, nesta quinta-feira, 25, a organização da Campinas Decor apresenta o cenário do evento para os profissionais interessados em participar como expositores.

Depois de conhecer os ambientes disponíveis e de assistir a uma apresentação sobre o projeto, os interessados se inscrevem para os três espaços que mais lhes agradarem. Após a realização das inscrições, as organizadoras irão iniciar o processo de seleção dos expositores, seguindo critérios preestabelecidos.

O processo deve ser concluído nas próximas semanas. A partir deste momento, além de definir o time de expositores, a organização iniciará também as negociações com patrocinadores, fornecedores e apoiadores do evento. 

O legado da Campinas
Decor nos prédios públicos
A instalação da exposição no local reforça a política da Campinas Decor de recuperação de bens do patrimônio público iniciada em 2003, quando o evento promoveu a reforma no Casarão do Lago do Café. De lá para cá, foram recuperados: Estação Guanabara, em 2008; prédios do Instituto Agronômico de Campinas, nas edições de 2009 e 2010; Estação Cultura, em 2011; Casa de Vidro, em 2016, e Fazenda Argentina (2018).

No total, foram investidos cerca de R$ 18,5 milhões em benfeitorias nesses prédios, cotizados entre a organização, expositores, patrocinadores e fornecedores. As obras realizadas e custeadas pela Campinas Decor e seus parceiros nos diversos imóveis públicos recuperados trazem benefícios concretos às instituições envolvidas e também à população. Confira algumas informações:

  • Primeiro prédio recuperado pelo evento, o Casarão do Lago do Café, totalmente revitalizado, abriga o MUCA (Museu do Café), cuja missão é preservar e difundir a cultura cafeeira, além de representar os cafeicultores e pequenos produtores rurais. O museu possui um programa educativo com os projetos “Do Café as Estrelas”, em parceria com o planetário municipal, e o “Café Itinerante”, que leva atividades educativas a várias partes da cidade, além de trabalhar com a museologia social. Nesses projetos, foram atendidos no último ano cerca de 8 mil crianças, adolescentes e adultos usuários de serviços sociais. Também têm sido realizados eventos culturais que receberam mais de 15 mil visitantes, entre outras ações.
  • Tendo abrigado duas edições consecutivas da Campinas Decor, o Instituto Agronômico de Campinas, pertencente ao governo do Estado, teve várias edificações restauradas, auxiliando e ampliando pesquisas e trabalhos administrativos realizados por essa importante instituição. Entre os diversos benefícios, vale destacar que a reforma do edifício Franz W. Dafert, imponente imóvel de 1943 tombado pelo patrimônio histórico, possibilitou a implantação do curso de pós-graduação do IAC, atendendo a 120 alunos por ano.
  • A Estação Guanabara abriga o CIS-Guanabara, Centro Cultural de Inclusão e Integração Social criado, vinculado e mantido pela Unicamp, no qual são desenvolvidos projetos de educação, cultura e lazer para a comunidade. Desde a recuperação integral das instalações, o CIS-Guanabara vem realizando cerca de mil eventos e atividades culturais por ano, acolhendo 25 mil participantes anualmente.
  • A Estação Cultura, um dos principais cartões postais da cidade, desde que abrigou a Campinas Decor se tornou um importante equipamento cultural do município. Atualmente, atende mais de 200 mil pessoas por ano em eventos como shows, palestras, feiras e exposições. Suas salas são utilizadas para ensaios e reuniões de grupos culturais da cidade e região.
  • Após a realização da Campinas Decor em 2016, a Casa de Vidro, no Lago do Café, foi adaptada para receber um equipamento de cultura. Apenas no ano de 2017, de setembro a dezembro, o local recebeu mais de 2 mil pessoas, entre escolas e visitantes espontâneos às exposições do acervo do Museu da Cidade e exposições de instituições e artistas convidados. O espaço também foi palco de eventos como a Mesa Redonda sobre recursos hídricos organizada pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil, lançamento de livro e um ciclo de debates em educação promovido pela Fundação FEAC.
  • Recém devolvida oficialmente para a Unicamp, a Fazenda Argentina, que sediou a Campinas Decor 2018, irá abrigar ainda neste ano o escritório da Inova, agência de inovação da Unicamp, assim como empresas startups. As edificações recuperadas pela mostra na propriedade também serão utilizadas para a realização de eventos culturais e futuramente para a sede do Museu de Artes Visuais.

 Serviço
Campinas Decor 2019

Quando: de 26 de abril a 16 de junho
Onde: Rua Barreto Leme, 1.515, Cambuí
Horários: de terça a sexta-feira, das 14h às 20h30; sábados, domingos e feriados, das 12h30 às 20h30
Valor dos ingressos: R$ 40,00; estudantes e idosos pagam R$ 20,00 e crianças de até 12 anos não pagam
Serviços disponíveis: restaurante, café, bar, brinquedoteca e estacionamento com manobrista
Telefone para informações: (19) 3255-7744
www.campinasdecor.com.br