sexta-feira, junho 21, 2024
InícioCidadesCom eleição suplementar definida, pré-candidatos aceleram na corrida pela cadeira de prefeito...

Com eleição suplementar definida, pré-candidatos aceleram na corrida pela cadeira de prefeito em Paulínia

Eleição Suplementar em Paulínia acontece dia 01/09/2019

Após o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confirmar a data da eleição suplementar para preencher os cargos de prefeito e vice-prefeito de Paulínia, os possíveis candidatos às vagas intensificaram suas ações políticas pela cidade para conquistar o voto dos paulinenses. A divulgação do calendário eleitoral aconteceu na tarde desta segunda-feira,15, e na noite do mesmo dia, diversos partidos já se reuniram a fim de traçar as estratégias para o pleito inédito na cidade. As eleições suplementares de Paulínia acontece dia 01/09/2019.

Desde o afastamento do ex-prefeito Dixon Carvalho (PP) e seu vice Sandro Caprino (PRB), em novembro do ano passado, por abuso de poder econômico nas eleições de 2016, as legendas já tinham dado início às conversas para possíveis alianças e formação de chapas. Além disso, os nomes que concorrerão aos cargos são vistos com frequência em festas juninas, feiras e eventos públicos. Agora, com a confirmação, o processo foi intensificado tanto nas ruas como nas redes sociais.

Reuniões em residências, outdoors, visitas surpresas em setores da saúde e setores públicos, fotos e até as chamadas Lives (vídeos ao vivo direto do Facebook) estão evidenciando ainda mais os pretendentes que, em sua maioria, confirmaram a pretensão ao cargo e aguardam que as legendas oficializem a escolha deles para o pleito. Sobre os possíveis vices-prefeitos, ainda aguardam as coligações para definição dos nomes.

Confira os possíveis nomes que aparecerão nas urnas:

– Adilson Domingos Censi – Palito (PROS), ex-vereador
– Antonio Miguel Ferrari, o Loira (DC), vereador e atual prefeito interino
– Capitão Cambuí (PSL) – comandou a Polícia Militar de Paulínia entre 2014 e 2018 e atualmente coordena a área operacional do 8º Batalhão de Polícia Militar I, que engloba parte de Campinas e Paulínia
– Coronel Furtado (PSC) – foi secretário de Segurança Pública de Paulínia na gestão 2009/2012 do ex-prefeito José Pavan Junior (PSDB). Nas redes sociais, sinalizou uma possível parceria com Kielson Prado (MDB), que disputou a eleição para prefeito em 2016 e obteve 777 votos (1,50%)
– Custódio Campos (PT), ex-vereador
– Daniel Messias (PCO) disputou a eleição a prefeito em 2016
– Dixon Carvalho (PP), prefeito cassado
– Du Cazellato (PSDB), vereador e ex-prefeito interino
– Juliano Merkes (Democratas) – servidor público
– Luciano Ramalho (PRB), ex-secretário de Educação no governo de Dixon Carvalho e vereador (suplente)
– Nany Camargo (MDB), esposa do ex-prefeito Edson Moura
– Marquinho Fiorella (PSB), vereador por 4 mandados consecutivos
– Robert Paiva (PTB) – suplente de vereador, foi relator da Comissão Processante que investigou Dixon
– Sandro Caprino (PRB), ex-vereador e vice-prefeito cassado
– Sanzio Rodrigues (MDB) – secretário de Negócios da Receita em 2013, na gestão de Edson Moura Jr
– Tuta Bosco (Cidadania) disputou a eleição para prefeito em 2016 e obteve 13.765 votos (26,58%).