sexta-feira, junho 21, 2024
InícioDestaquesCom mais de 751 novas vagas, Paulínia é a terceira cidade na...

Com mais de 751 novas vagas, Paulínia é a terceira cidade na RMC que mais gerou empregos formais em julho

Fotos: https://br.freepik.com

Segundo o Novo Caged, saldo de novos empregos no sétimo mês do ano supera 751 postos. No ano, foram gerados mais de 1.841 novos empregos no município

Paulínia é a terceira cidade da Região Metropolitana de Campinas (RMC) que mais gerou novos postos de trabalho formais em julho. O município registrou 751 novos empregos e, com isso, de janeiro a julho de 2022, foram gerados 1.841 novos empregos no acumulado do ano.

Os dados fazem parte do Novo Caged, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, criado como registro permanente de admissões e dispensa de empregados sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

De acordo com o Caged, Paulínia seguiu, em julho, uma curva ascendente no ritmo de geração de empregos formais, com um saldo positivo de 751 postos. Atrás apenas de Campinas, 2.067 e Indaiatuba, com 793. Paulínia conta hoje com mais de 44.852 mil empregos formais, um novo recorde histórico.

Foram contratados em julho 504 homens e 247 mulheres. Entre as pessoas contratadas pelas empresas, 234 têm entre 30 e 39 anos.  Já das 751 vagas abertas, 397 pessoas tem o Ensino Fundamental completo. Entre janeiro e julho de 2022, o município registrou 14.668 contratações e 12.827 demissões em empregos com carteira assinada. O saldo foi de 1.841empregos a mais.

O Caged serve como base para a elaboração de estudos, pesquisas, projetos e programas ligados ao mercado de trabalho e, desta forma, subsidia a tomada de decisões para ações governamentais.

 

Setores da economia

Os dados do Caged reforçam que o desempenho do setor de Serviços segue em crescimento, com mais de 562 novos postos formais em julho. Em segundo lugar aparece o setor da Construção civil, com mais de 201 postos, seguido do Comércio (3). Já Agropecuária não contratou ninguém e a Indústria fechou com saldo negativo de 15 desligamentos.

Levando-se em conta os sete meses deste ano, o maior destaque fica por conta do setor da Construção civil, que registrou a contratação de 984 trabalhadores, um crescimento de 23,03% no estoque de empregos formais. Vale ressaltar que todos os demais setores registram saldo positivo neste ano, com os Serviços tendo gerado 701 vagas e a Comércio chegando a 99 novos postos.