sexta-feira, junho 21, 2024
InícioDestaquesCooperativa de Paulínia recebe 80 toneladas de papel do TRT de Campinas

Cooperativa de Paulínia recebe 80 toneladas de papel do TRT de Campinas

A associação Amigos Unidos por Amor Contra o Câncer (AUPACC) vai receber 10% do valor obtido com a comercialização do material

Aproximadamente 80 toneladas de papel foram doadas para a Cooperativa de Profissionais da Área de Reciclagem do Brasil (Cooperlínia Ambiental do Brasil). O papel é oriundo de cerca de 140 mil processos judiciais findos que tramitaram no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região e passaram por uma triagem criteriosa com base em análise documental e histórica.

O projeto, batizado de “Papel Social”, vai beneficiar 23 cooperados, além de 33 reeducandos em regime semiaberto da Fundação de Amparo ao Preso (Funap) “Prof. Dr. Manoel Pimentel” que atuam na cooperativa.

A retirada ocorreu em outubro (29/10), no Arquivo Central do TRT-15, em Paulínia, e contou com a participação, entre outros, das servidoras Sandra Amador Costa Souza, da Seção de Gestão de Arquivo Intermediário, Cristina Paula Pera, da Coordenadoria de Distribuição de Feitos de 2ª Instância, e Thaís Martins Lepesteur, da Seção de Gestão de Arquivo Permanente do Centro de Memória, Arquivo e Cultura (Cmac).

De acordo com o diretor presidente da Cooperlínia, José Carlos da Silva, o material foi suficiente para lotar seis caminhões-caçamba. Ainda segundo o diretor, a doação deverá render aproximadamente R$ 50 mil à cooperativa. A Cooperlínia também pretende destinar 10% do valor obtido com a comercialização do material para a associação Amigos Unidos por Amor Contra o Câncer (AUPACC).

Para a presidente do  TRT da 15ª Região, desembargadora Gisela Rodrigues Magalhães de Araujo e Moraes, na qualidade de signatário do Pacto Global das Nações Unidas e de detentor do Selo A3P Verde de Sustentabilidade na Administração Pública, é dever do Tribunal adotar iniciativas sustentáveis.

“Por meio de ações como esta, o TRT da 15ª Região reitera seu compromisso com a preservação do meio ambiente e se posiciona como uma instituição que se organiza para operar a redução e a erradicação de impactos socioambientais negativos gerados a partir de suas atividades, bem como fomentar o uso racional dos recursos naturais, o respeito à sociedade e ao meio ambiente”, salienta.

A iniciativa de destinação dos processos findos está em conformidade com a Plataforma Agenda 2030, da ONU, mais especificamente ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 12, que trata dos padrões de produção e consumo sustentáveis.

A presidente ressaltou ainda o viés social da iniciativa, “um ciclo do bem”, uma vez que a cooperativa é uma sociedade sem fins lucrativos e “possui convênio assinado com a Fundação de Amparo ao Preso”, mantendo “33 postos de trabalho para reeducandos em regime semiaberto, os quais recebem um salário-mínimo mensal”, além de uma redução de pena, e suas atividades contribuem para a qualificação profissional e experiência, “conferindo maior probabilidade de colocação no mercado de trabalho, após o cumprimento da pena”.

Fotos: Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região de Campinas