sexta-feira, junho 21, 2024
InícioAmbienteGuarda Civil apreende e orienta contra o uso do cerol em Paulínia

Guarda Civil apreende e orienta contra o uso do cerol em Paulínia

A “Operação Saturação”, deflagrada pela Guarda Municipal de Paulínia, começou pelos bairros Bom Retiro, Cooperlotes e Parque dos Servidores e vai percorrer outras regiões da cidade
Em Paulínia, a lei nº 2.454, de 17 de abril de 2001, proíbe o uso de cerol ou substâncias cortantes nas linhas de empinar papagaios, pipas e similares no município

Atenta à trágica brincadeira de empinar pipas com linhas de cerol, a Guarda Municipal iniciou nesta quarta-feira, 24, a “Operação Saturação” com objetivo de coibir o uso de linha chilena (cerol). O cerol pode causar acidentes fatais, envolvendo especialmente motoqueiros, ciclistas e crianças. A operação irá se repetir nos próximos dias em outros pontos da cidade.

A operação iniciou nos bairros Bom Retiro, Cooperlotes e Parque dos Servidores, onde foram apreendidos 10 carreteis e vários “pipeiros” foram orientados quanto aos perigos da atividade feita de maneira errada e em lugares impróprios, incluindo o risco à vida. Ninguém foi preso. 

O “cerol-nome”, como é conhecida a mistura criminosa de cola de madeira com vidro moído é usada ilegalmente em linhas de pipas. Já a “linha chilena”, é uma espécie de cerol mais resistente e cortante.

Cerol: Brincadeira Perigosa
Não há uma estatística precisa, mas, segundo os levantamentos da Associação Brasileira de Motociclistas (ABRAM), acontecem cerca de 100 casos por ano no Brasil de acidentes envolvendo linhas com cerol, sendo que 50% (cinquenta por cento) são graves e 25% (vinte e cinco por cento) são fatais.

Ciclistas e motociclistas são os mais vulneráveis, já que os ferimentos acontecem geralmente na altura do pescoço ou rosto das vítimas. Durante o acidente, o vidro moído ou pó de ferro, colado à linha, exerce forte pressão sobre o tecido humano, havendo atrito. Considerando que a superfície de contato é muito pequena, o ponto de pressão é muito concentrado e os cortes são inevitáveis.

Há o risco de a vítima ter uma artéria ou veia do pescoço seccionada, o que lhe pode causar forte hemorragia e matar em poucos minutos. Existe também a chamada linha chilena que é feita de material ainda mais resistente e que tem poder de corte maior do que as linhas convencionais.

Além da chance de acidentes, pode haver implicações legais que recaem sobre sua fabricação, comércio e utilização, como a exposição da vida e da integridade física de terceiros às linhas com tais substâncias (fato que se enquadra no artigo 132 do Código Penal), chegando-se até as lesões corporais (artigo 129, do Código Penal) ou homicídios (artigo 121, do mesmo código).

Sigilo garantido
Se você souber de algum estabelecimento que vende cerol, denuncie ao 153 ou 3874 3646. Não é necessário se identificar e o sigilo é absoluto.