quinta-feira, junho 20, 2024
InícioAmbienteMortandade de peixes surpreende moradores do Parque das Flores; galeria de fotos

Mortandade de peixes surpreende moradores do Parque das Flores; galeria de fotos

Moradores foram surpreendidos por uma mortandade de peixes na lagoa do Parque das Flores, que fica entre os bairros Jardim Primavera e a Vila José Paulino Nogueira (Popular Velha), na região oeste de Paulínia. Os primeiros relatos sobre os animais mortos foram comunicados a Guarda Municipal no sábado (16).

Na manhã de domingo (17), a equipe do site Notícias de Paulínia esteve no local e registrou centenas de peixes mortos (cascão e lambari) boiando por cerca de 300 metros.

Várias espécies de peixe de água doce foram afetadas. A causa ninguém sabe, aparentemente eles morreram por falta de oxigênio que pode ser causada por diversos fatores como herbicidas, material contaminado ou esgoto despejado de forma irregular. Mas isso só será comprovado com análises criteriosas.

Sem saber as causa da mortandade, dois homens pescavam tranquilos na margem da lagoa maior. O curso d’água, que nasce da junção das nascentes da mata do Jardim Flamboyant e do Ipê, deságua no Rio Atibaia.

Em 2019, de acordo com publicação no site da prefeitura, o governo municipal limpou as águas, retirou as marrequinhas (algas) que cobriam a superfície do lago e interrompeu o processo de assoreamento que há anos atingia o Parque das Flores, uma das principais áreas de lazer da cidade. Depois acenou com a possibilidade de revitalizar o espaço para servir como ambiente de lazer da região, em 2020, a situação segue longe do ideal. O processo de revitalização do espaço está em andamento pela prefeitura.

Recentemente, o vereador e ex-prefeito Antônio Miguel Ferrari, o Loira (DC), propôs que a Administração Municipal faça a manutenção, calçamento, revitalização, poda das árvores e mata ciliar do Parque das Flores, que segundo propositura encontra-se em condições precárias devido ao desgaste natural do tempo.

“A lagoa se encontra assoreada, com o mato tomando conta de toda área, os bancos e brinquedos quebrados e a ponte que ligava a ilha e era uma das atrações também danificada. A medida se faz necessária para que moradores possam voltar a usufruir do espaço como antigamente.”

A propositura foi feita antes do início da epidemia do Covid-19 e visa proporcionar novos espaços para a população paulinense e também movimentar o turismo na cidade.