domingo, junho 23, 2024
InícioDestaquesPaulínia registra mais duas mortes e 93 novos casos da COVID-19

Paulínia registra mais duas mortes e 93 novos casos da COVID-19

Até agora, 41 pessoas morreram na cidade por COVID-19; até está quinta-feira (6) foram 7 mortes e 185 novos casos

A Secretaria da Saúde de Paulínia confirmou nesta quinta-feira (6) mais duas mortes por infecção do novo coronavírus, de dois homens, de 70 e 72 anos, respetivamente. Eles tinham comorbidades e estavam internados no Hospital Municipal de Paulínia (HMP). Até agora, 41 pessoas morreram na cidade por COVID-19.

O 40° caso trata-se de um homem, de 70 anos, com antecedentes de hipertensão, sequela de AVC e tabagismo. Iniciou os sintomas respiratórios em 6 de julho, sendo internado dia 13 no Hospital Municipal de Paulínia. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a COVID-19 pelo exame de SWAB, com resultado positivo. Faleceu terça-feira, dia 4 de agosto.

Já o 41º caso, também de um homem, de 72 anos, com antecedentes de pneumopatia e tabagismo. Apresentou o início dos sintomas respiratórios em 13 de julho, sendo hospitalizado dia 21, no HMP. Foi realizado diagnóstico laboratorial para a COVID-19 pelo exame de SWAB, com resultado positivo. Faleceu nesta quarta-feira, 5, no hospital municipal. O idoso era residente do Centro de Geriatria (Lar dos Velhinhos). A morte dele foi divulgada ontem.

O boletim epidemiológico também registrou 93 novos casos de pessoas com COVID-19 na cidade. Com os novos registros, são agora 2.262 confirmações de pessoas infectadas com o novo coronavírus. Desse total, 1.638 estão recuperados.

Há ainda outros 956 casos em investigação e 1.035 que já foram descartados para COVID-19 desde o início da pandemia, em 19 de março. Atualmente 28 pacientes confirmados ou suspeitos com a COVID-19 estão internados no hospital municipal, 7 em UTI.

A Prefeitura de Paulínia informa que é essencial que todos sigam as orientações do Comitê de Prevenção e Enfrentamento do Coronavírus e reforça a necessidade do isolamento domiciliar, saindo somente para necessidades extremas, nunca deixando de usar máscara e higienizando as mãos sempre que possível.