sexta-feira, julho 19, 2024
InícioCidadesPostos de combustíveis de Paulínia registram desabastecimento

Postos de combustíveis de Paulínia registram desabastecimento

Posto da Avenida José Paulino registra fila na tarde desta quinta-feira (24) | Foto: Thiago Müller

Diversos setores da economia já foram afetados com o protesto dos caminhoneiros, que segue para o 5º dia

Postos de combustíveis já estão ficando desabastecidos em Paulínia. Em alguns casos, a escassez do produto fez com que alguns estabelecimentos elevassem o preço. Na região central da cidade, o litro da gasolina já ultrapassa os R$ 4,50.

De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Campinas, o Recap, 70% dos estabelecimentos estão sem combustível e a previsão é de que, até as 15h de amanhã, sexta-feira (25), todos estejam esgotados. O Sindicato representa 30 postos em Paulínia e 1,4 mil postos de combustíveis em 90 cidades da região de Campinas.

De acordo com Flávio Campos, presidente do Recap, não há mais o que fazer em relação ao assunto. “Com as nossas previsões, já sabemos que 70% das revendas já estão sem combustíveis. Não há o que fazer sobre o assunto e até o final da tarde não haverá mais combustível disponível”, afirmou.

Foto: Thiago Müller

Corrida matinal aos postos
Pela manhã, houve uma corrida aos postos de combustíveis na cidade. Dezenas de postos já amanheceram com filas de veículos. Muitas foram formadas antes das 7h.

Desde cedo, havia filas em postos de vias como Avenida José Paulino, Avenida Presidente Getúlio Vargas, João Aranha, Avenida Antonio Batista Piva, rodovia Professor Zeferino Vaz, a SP-332, Prefeito José Lozano Araújo, entre outros.

As filas chegaram a interferir nas faixas das próprias vias. Também foram flagradas pessoas indo aos postos com galões para armazenar combustível.

Há também relatos de brigas entre motoristas por desentendimento nas filas. Alguns motoristas tentaram furar as filas e acabaram barrados por outros que aguardavam já há mais de 30 minutos.

O caso aconteceu em um posto da Avenida José Paulino, região central de Paulínia. O risco de desabastecimento na cidade já havia sido alarmado desde ontem.

O presidente do Recap afirmou que os postos de combustíveis já estavam com os estoques reduzidos devido ao alto preço dos combustíveis desde o ano. “Desde outubro do ano passado quando houve aumento do PIS e Cofins o custo do combustível subiu quase 50% e os postos tiveram que diminuir seus estoques para poder continuar trabalhando”, afirmou.

A falta de combustíveis é causada devido a movimentação grevista nacional dos caminhoneiros contra o alto preço dos combustíveis.

Desde às 7h, postos da Avenida José Paulino, região central, foram os mais procurados | Foto: Notícias de Paulínia