quinta-feira, junho 13, 2024
InícioDestaquesTaxa de ocupação de leitos para Covid-19 volta a crescer em Paulínia

Taxa de ocupação de leitos para Covid-19 volta a crescer em Paulínia

Vista Panorâmica de Paulínia: Jardim América, Região Sul

O número de moradores internados da COVID aumentou de 30 para 37 nos últimos sete dias; em termos de morte foi a pior semana, 7 pessoas perderam suas vidas para a doença

 A taxa de ocupação de leitos do Hospital Municipal de Paulínia para pacientes com COVID-19 subiu 23,33% na semana compreendida entre os dias 19 e 25/07. Enquanto que também houve aumento no número de mortes, com 7 vidas tendo sido perdidas para a COVID, contra 5 na semana anterior. No período em questão, a cidade teve 168 novas confirmações da doença, contra 209 da semana anterior.

Um indicador preocupante, porém, é o de paulinenses internados com diagnóstico da COVID, que subiu de 30 para 37, em média, no fechamento entre uma semana e outra. Teve dia da semana, que o HMP chegou a ter 39 pessoas internadas, sendo usado até clínica cirúrgica. Os leitos são finitos, é importante a população entender esse momento, onde é preciso diminuir o contágio e a transmissão da doença.

Os moradores de Paulínia recuperados da COVID teve um notório incremento nos últimos sete dias, com 1001 pacientes liberados do isolamento domiciliar ou dados de alta dos hospitais (média de 18,14 por dia), contra 874 na semana anterior (média de 13,57 por dia).

Já quanto ao total de testes rápidos, a semana fechou com 11.927 exames adicionados à listagem oficial do município, dos quais, 550 deram resultado negativo e 1.145 positivo. Lembrando que os 1.670 testes rápidos divulgados no Boletim Diário de 24/07 correspondem apenas aos exames realizados em pessoas consideradas suspeitas da COVID-19.

Entre os possíveis motivos para a redução dos indicadores, um deles é a menor circulação de pessoas pela cidade durante as duas primeiras semanas do mês, em razão da “quarentena mais restritiva” imposta pelo Governo do Estado ao Departamento Regional de Saúde (DRS) de Campinas, que abrange 42 municípios, saindo da etapa vermelha para a laranja.

Desde o último dia 15, no entanto, os índices de isolamento vêm diminuindo, o que pode representar futuro aumento na notificação de casos no município e na região, uma vez que o reflexo das políticas de contenção do vírus começam a ser sentidos, em média, de 10 a 15 dias após sua aplicação.

Na somatória dos meses de março, abril e maio, Paulínia contabilizou 166 casos confirmados e 1 morte. Em junho, foram outros 730 casos e 12 mortes. Julho, em 25 dias, soma 1.781 casos positivos e 15 mortes.

  25/7 24/7 23/7 22/7 21/7 20/7 19/7
Casos confirmados 1781 1747 1703 1655 1630 1630 1613
Casos suspeitos 909 836 740 769 750 750 757
Casos descartados 948 933 931 900 894 894 871
Casos recuperados 1001 997 991 900 891 891 878
Ocupação hospitalar 39 35 38 39 38 38 32