sábado, julho 20, 2024
InícioDestaquesVenda cresce 40% e imóvel de até R$ 300 mil é o...

Venda cresce 40% e imóvel de até R$ 300 mil é o preferido dos compradores da região de Campinas

Quem comprou esses imóveis preferiu as casas (53,33%) aos apartamentos (46,67%); locações têm queda de 28,77% no mesmo período!

As vendas de imóveis usados cresceram 40,04% na região de Campinas em setembro sob impulso dos financiamentos bancários e amparadas nos imóveis com preço de até R$ 300 mil, que representaram 62,5% das casa e apartamentos vendidos por 124 imobiliárias e corretores  da cidade de Campinas e de outros 20 municípios consultados pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CreciSP).

Quem comprou esses imóveis preferiu as casas (53,33%) aos apartamentos (46,67%), a maioria deles situados em bairros de periferia (53,39%) e de padrão construtivo médio (62,5%).    

A alta de 40,04% nas vendas sobre agosto teve o financiamento bancário como principal suporte, com 49,28% dos negócios fechados por meio de empréstimos concedidos pela Caixa Econômica Federal e outros bancos. O restante se dividiu entre vendas feitas com pagamento parcelado por donos de imóveis (23,19%), com pagamento à vista (19,57%) e por crédito de consórcios imobiliários (7,97%).

A recuperação em setembro se deu após uma queda de 18,95% em agosto, oscilação considerada normal no mercado imobiliário, segundo José Augusto Viana Neto, presidente do CreciSP. “As vendas têm um tempo de maturação demorado, que se estende às vezes por meses até o fechamento da compra, e isso se reflete na oscilação dos resultados mensais, gerando o ‘efeito gangorra’ que alterna altos e baixos no saldo consolidado mensal apurado pelas pesquisas”, explica Viana Neto.

Essa alternância fica evidente na pesquisa estadual feita pelo CreciSP e que consolida dados de vendas e locação da Capital, do Interior e do Litoral do Estado. Na pesquisa mais recente, o saldo acumulado de vendas de janeiro a agosto no Estado está positivo em 23,09%. Nesses oito meses, em cinco as vendas tiveram crescimento e em três, queda.

“A médio e longo prazos é que se tem maior clareza sobre as tendências e os rumos que os mercados seguem, daí a importância do balizamento feito pelas pesquisas”, ressalta o presidente do CreciSP.

2 dormitórios, mais vendidos

As 124 imobiliárias e corretores que responderam à pesquisa do CreciSP em setembro registraram que houve clara preferência dos compradores pelos  imóveis de 2 dormitórios em Campinas e nas demais 20 cidades.

No segmento de casas, 51,35% têm 2 dormitórios, 43,24% têm 3 dormitórios e 5,41% têm 1 dormitório. A área útil de 37,84% delas varia de 51 a 100 metros quadrados; 37,84% têm entre 51 e 100 m2; 16,22% têm até 50 m2; 8,11% têm entre 201 e 300 m2; e 2,7% têm entre 301 e 400 m2, mesmo percentual das que dispõem de área útil superior a 500 m2. A maioria (56,76%) tem duas vagas de garagem.

A participação dos imóveis de 2 dormitórios é ainda maior entre os apartamentos, com 85,71% do total, ficando o restante distribuído entre os de 3 dormitórios (8,57%) e os de 1 e 4 dormitórios, ambos com 2,86%.  A área útil de 54,29% deles mede entre 51 e 100 metros quadrados e 42,86% têm até 50 metros quadrados. Outros 2,86% têm área maior que 500 m2. Têm uma vaga de garagem 77,14% e duas vagas, 22,86%.

Locação de residências cai 28,77%
e aluguel de até R$ 1.250,00 lidera

A pesquisa CreciSP com124 imobiliárias da região de Campinas registrou em setembro uma redução de 28,77% na locação de imóveis residenciais em relação a agosto e uma concentração de contratações nas faixas de aluguéis mensais de até R$ 1.250,00, com 58,97% do total.

Em agosto, mês em que a locação caiu 0,14% sobre julho, os imóveis mais alugados se estendiam até a faixa de R$ 1.500,00. “Quem alugou em setembro nessas cidades optou por buscar imóveis mais baratos e fez clara opção por mais espaço mesmo com sacrifício da localização”, afirma José Augusto Viana Neto, presidente do CreciSP.

Ele se refere à predominância em setembro das casas sobre os apartamentos, respectivamente com 70,59% e 29,41% dos imóveis alugados, e à maior concentração de imóveis alugados em bairros de periferia (57,53%) do que em bairros nobres (27,4%) e em regiões centrais (15,07%).

“Imóveis em bairros mais afastados das áreas nobres e centrais têm aluguel médio menor e costumam ser maiores, o que atrai as pessoas não só pelos motivos financeiros, mas também pelo desejo e necessidade de mais espaço e conforto, demandas que a pandemia intensificou”, enfatiza Viana Neto.

A pesquisa CreciSP deixa claros os motivos da preferência pelas casas: 48,39% delas têm 3 dormitórios, 54,84% têm área útil entre 101 e 200 metros quadrados e 45,16% têm duas vagas de garagem enquanto todos os apartamentos alugados têm 2 dormitórios e apenas uma vaga de garagem. A área útil de 50% deles é de até 50 metros quadrados, mesmo percentual dos que medem entre 51 e 100 m2.

A pesquisa CreciSP foi feita nas seguintes cidades:  Águas de Lindoia, Americana, Amparo, Artur Nogueira, Campinas, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Hortolândia, Indaiatuba, Itapira, Itatiba, Jaguariúna, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Monte Mor, Nova Odessa, Paulínia, Pedreira, Santa Bárbara D’Oeste, São João da Boa Vista, Sumaré, Valinhos e Vinhedo.

Faixa de preço média Percentual
Até R$ 100 mil 0,00%
De R$ 101 a R$ 200 mil 30,56%
De R$ 201 a R$ 300 mil 31,94%
De R$ 301 a R$ 400 mil 13,89%
De R$ 401 a R$ 500 mil 9,72%
De R$ 501 a R$ 600 mil 4,17%
De R$ 601 a R$ 700 mil 4,17%
De R$ 701 a R$ 800 mil 2,78%
De R$ 801 a R$ 900 mil 1,39%
De R$ 901 a R$ 1 milhão 0,00%
Acima de R$ 1 milhão 1,39%

 

Modalidade Percentual
À Vista 19,57%
Financiamento Caixa 31,16%
Financiamento Outros Bancos 18,12%
Direto com Proprietário 23,19%
Consórcios 7,97%

 

Região Percentual
Central 12,71%
Nobre 33,90%
Demais Regiões 53,39%

 

Tipo Percentual
Luxo 9,38%
Médio 62,50%
Standart 28,13%

 
Casas Vendidas

Dormitórios Percentual
1 (um) Dorm. 5,41%
2 (dois) Dorm. 51,35%
3 (três) Dorm. 43,24%
4 (quatro) Dorm. 0,00%

 

Vagas de garagem Percentual
Sem vaga 2,70%
1 vaga 18,92%
2 vagas 56,76%
3 vagas 5,41%
4 vagas 8,11%
5 ou mais vagas 8,11%

 

Área útil Percentual
1 a 50 m² 16,22%
51 a 100 m² 37,84%
101 a 200 m² 32,43%
201 a 300 m² 8,11%
301 a 400 m² 2,70%
401 a 500 m² 0,00%
acima de 500 m² 2,70%


Apartamentos Vendidos

Dormitórios Percentual
Quitinete 0,00%
1 Dorm. 2,86%
2 Dorm. 85,71%
3 Dorm. 8,57%
4 Dorm. 2,86%
5 ou mais Dorm. 0,00%

 

Vagas de garagem Percentual
Sem vaga 0,00%
1 vaga 77,14%
2 vagas 22,86%
3 vagas 0,00%
4 vagas 0,00%
5 ou mais vagas 0,00%

 

Área útil Percentual
1 a 50 m² 42,86%
51 a 100 m² 54,29%
101 a 200 m² 0,00%
201 a 300 m² 0,00%
301 a 400 m² 0,00%
401 a 500 m² 0,00%
acima de 500 m² 2,86%

Locações em setembro na região de Campinas

Valor Aluguel Percentual
até 500 0,00%
501 a 750 17,95%
751 a 1.000 15,38%
1.001 a 1.250 25,64%
1.251 a 1.500 7,69%
1.501 a 1.750 5,13%
1.751 a 2.000 2,56%
2.001 a 2.500 7,69%
2.501 a 3.000 2,56%
3.001 a 4.000 7,69%
Acima de R$ 4.000 7,69%

 

Região Percentual
Central 15,07%
Nobre 27,40%
Demais Regiões 57,53%

 

Tipo Percentual
Luxo 15,09%
Médio 56,60%
Standart 28,30%


Casas Alugadas

Dormitórios Percentual
Quitinete 0,00%
1 Dorm. 22,58%
2 Dorm. 25,81%
3 Dorm. 48,39%
4 Dorm. 3,23%
5 ou mais Dorm. 0,00%

 

Vagas de garagem Percentual
Sem vaga 6,45%
1 vaga 29,03%
2 vagas 45,16%
3 vagas 6,45%
4 vagas 9,68%
5 ou mais vagas 3,23%

 

Área útil Percentual
1 a 50 m² 9,68%
51 a 100 m² 25,81%
101 a 200 m² 54,84%
201 a 300 m² 6,45%
301 a 400 m² 3,23%
401 a 500 m² 0,00%
acima de 500 m² 0,00%

 
Apartamentos Alugados

Dormitórios Percentual
Quitinete 0,00%
1 Dorm. 0,00%
2 Dorm. 100,00%
3 Dorm. 0,00%
4 Dorm. 0,00%
5 ou mais Dorm. 0,00%

 

Vagas de garagem Percentual
Sem vaga 0,00%
1 vaga 100,00%
2 vagas 0,00%
3 vagas 0,00%
4 vagas 0,00%
5 ou mais vagas 0,00%

 

Área útil Percentual
1 a 50 m² 50,00%
51 a 100 m² 50,00%
101 a 200 m² 0,00%
201 a 300 m² 0,00%
301 a 400 m² 0,00%