sexta-feira, julho 19, 2024
InícioCidadesVereadores acatam veto do Prefeito Interino para funcionalismo de Paulínia

Vereadores acatam veto do Prefeito Interino para funcionalismo de Paulínia

Enquanto projeto não for votado, prefeito não pode contratar cargos comissionados e nem nomear funcionários de carreira para ocupar cargo de direção e chefia

Durante a sessão ordinária desta terça-feira (26), a Câmara de Vereadores acatou por unanimidade o veto total do prefeito interino Antonio Miguel Ferrari, o Loira (DC) ao Projeto de Lei nº 69/2018, de autoria do próprio Executivo, que reformaria a estrutura administrativa das secretarias municipais. Apenas o vereador Du Cazellato (PSDB) se absteve.

A proposta havia sido aprovada por maioria em fevereiro (6 votaram a favor, 4 se abstiveram e 4 estavam ausentes), porém foi rejeitado pelo prefeito Antonio Miguel Ferrari. O projeto de lei foi protocolado dia 11 de dezembro de 2018, pelo também prefeito interino na época, Du Cazellato (PSDB).

De acordo com o prefeito, o projeto vetado aponta deficiência, inviabilizando de ser sancionado e promulgação com pareceres da Procuradoria Jurídica, apontamentos da Secretaria de Recursos Humanos e manifestação do Serviço de Expediente. Os membros do Legislativo avaliaram agora que é preciso fazer mudanças na proposta.

O projeto previa, ainda, que deve ser tratado como projeto de lei complementar e não lei ordinária como foi protocolado; não obteve o quórum necessário para aprovação de lei complementar, qual seja maioria simples, vício jurídico, incongruências no texto, que não podem ser alteradas e dificultariam a sua aplicação, além de divergências que impedem o correto lançamento de informações no sistema de folha de pagamento e sistema de prestação de contas eletrônica do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo – AUDESP, entre outros.

A matéria foi encaminhada ao arquivo e aguarda um novo projeto de lei complementar. Sem a aprovação, o Poder Executivo não pode contratar cargos comissionados ou nomear funcionários públicos de carreira para diretorias e chefias, pois existe um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), assinado entre a prefeitura e a Promotoria Pública do Estado de Paulo.

A sessão teve ainda 61 Indicações (sugestões à Prefeitura), análise de 30 Requerimentos (cobrança de medidas ou informações) e uma moção a Igreja Católica de Paulínia pela Campanha da Fraternidade de 2019, com o tema “Fraternidade e Políticas Públicas”.